Notícias SE MEU CARRO FALASSE 11/09/2015

Ayrton Senna! E se ele estivesse aqui?

Imagem Artigo

BRASIL, PRECISAMOS DO AYRTON SENNA!

Riza Braga, de Belo Horizonte.

Hoje o nosso ídolo faria 53 anos. Em abril do ano passado, em comemoração ao seu aniversário, a revista Alfa publicou esta matéria sobre a continuação imaginária da carreira do Ayrton Senna.

Eu não mudaria nada, só o fato dele ter escapado de Ímola já me deixaria bem satisfeita! Mas acrescentaria mais um milhão de mobilizações e institutos sociais, além do Instituto Ayrton Senna. Bom como ele,  não se contentaria com só um.

E você?  Como imagina que seria a brilhante carreira do melhor do mundo?

Veja como seria a sua carreira se ele estivesse vivo:

A carreira (imaginária) de Ayrton Senna
Por Rodrigo França 

1984
Estreia na F1 pela mediana equipe Toleman e surpreende com um segundo lugar no chuvoso GP de Mônaco.

1985
Conquista primeira de suas míticas 100 poles – pela Lotus. Também nesta escuderia, vence pela primeira vez na F1, no GP de Portugal.

1988
Conquista seu primeiro título, pela McLaren, vencendo Alain Prost, seu grande rival na primeira metade de sua carreira.

1990
É bicampeão após polêmico acidente em Suzuka, tirando Prost da pista – uma revanche em relação ao ano anterior, quando o francês tirou o brasileiro e ficou com o título.

1991
Vence pela primeira vez o GP Brasil, em Interlagos, em final épico (apenas com a sexta marcha nas voltas finais) e, ao final do ano, conquista o tricampeonato.

1993
Fica com o vice, mas dá show em corridas como o GP Brasil e o da Europa, no qual vence e chega a dar volta em Prost – novamente na chuva.

1994
Escapa da morte em acidente em Ímola – por poucos centímetros não sofre um impacto letal na cabeça após a batida na Tamburello. Reage a partir do GP seguinte e conquista, guiando pela Williams, o tetracampeonato no primeiro dos grandes duelos com Michael Schumacher.

1996
Conquista o pentacampeonato, também guiando pela Williams.

1997
Muda para a Ferrari, anunciando projeto para tirar escuderia de Maranello de jejum de títulos. Conquista primeira vitória na Itália e leva milhares de tifosi ao delírio. Hakkinen, no entanto, é o campeão.

1998
Torna-se o maior campeão da F1 ao conquistar seis títulos de maneira emocionante no GP do Japão, em Suzuka. Em emocionada oração transmitida ao vivo pela TV para mais de 100 países, anuncia despedida da categoria.

Isto é Ayrton Senna
– Recordista de títulos da F1, com seis conquistas (88, 90, 91, 94, 96 e 98), ao lado de Michael Schumacher.
– Recordista de poles na F1: 100
– Segundo maior vencedor da categoria: 70 vitórias (uma a menos que Schumacher).
– Vencedor das 500 Milhas de Indianápolis de 2000, pela Penske, após um ano sabático fora das pistas.
– Adquire a Arrows em 2001 e funda Senna GP, que fecha as portas na temporada seguinte com dificuldades financeiras.
– Presidente da FIA entre 2002 e 2010. Trabalha pela maior segurança nas pistas, ajuda a desenvolver categoria de base como o kart e idealiza o GP das Américas (com os F1 correndo no Aterro do Flamengo, no Rio).
– Junto com a irmã, Viviane Senna, cria o Instituto Ayrton Senna, uma das principais entidades assistências do Brasil e do mundo.

Divisória Simples
Veja Também

 Deixe um Comentário

Para deixar seu comentário, se não estiver logado, registre nome e e-mail.
Avatar Usuário
Leandro há 11 meses Responder
Acompanho Formula 1 desde 1983 e pude ver pilotos geniais ganharem titulos na F1 ,dentre eles Piquet,Prost ,Vettel ,Schumacher e o próprio Senna ,que é o meu predileto . Bom quando partiu em 94 Senna estava no auge da carreira ,se aquela tragédia em Imola não tivesse acontecido eu tenho absoluta certeza de que Senna chegaria até os 40 anos em alto nivel. Mas teria uma disputa dura contra alguem que já na época mostrava um super talento ,Schumacher . Senna se manteria competitivo mas iria ter que correr contra Schumacher ( e Schumacher contra ele tambem ) ,e ambos teriam uma disputa parelha .Como as que Senna teve contra Prost .Mas na minha opinião Senna partiu cedo .
Avatar Usuário
Alexsander há 3 anos Responder
Ótimo piloto, sem dúvidas, mas não compro esse Senna que a TV Globo passa pra todos não. Não era esse "santinho" todo não. Mas um baita piloto. Abs
Avatar Usuário
ba há 3 anos Responder
Saudade, a gente tem pelo piloto que ele sempre foi. Mas, sinceramente, se ele tivesse ficado, acho que muitos pilotos teriam deixado as pistas - talvez até mesmo teriam partido dessa pra melhor... Acho que Senna deixou um legado muito maior do que títulos, vitórias e números estonteantes: nunca a F-1 foi tão segura e veloz como é hoje. Por mais que ele brigasse com a FIA, a gente sabe que essas instituições bur(r)ocráticas não levantam a bunda enquanto a água não estiver batendo. (desculpe o nível, aliás)
Avatar Usuário
Riza Braga há 3 anos Responder
Ídolo, exemplo de dedicação, de sabedoria, persistência e amor ao próximo!
Avatar Usuário
Luise M. há 3 anos Responder
... que bom seria se ele ainda estivesse aqui!
Avatar Usuário
Augusto há 3 anos Responder
Pularam 1992 e 1995, mas bem legal o texto. Abraço. gatosmucky.blogspot.com
Avatar Usuário
Myra há 3 anos Responder
Eterno ídolo!!!
Confira Mais Notícias