Notícias SE MEU CARRO FALASSE 03/12/2014

Chevrolet Opala 1976: quando um carro se torna uma lenda!

Imagem Artigo

Chevrolet Opala 1976: quando um carro se torna uma lenda!
Velozes e Antigos (1)
Vitor Lomeu, de Belo Horizonte.
Enfim chegamos à primeira postagem resultante da parceria entre o Se Meu Carro Falasse e o Instagram Velozes e Antigos BR. Toda quarta-feira será compartilhado um conteúdo bem interessante com fotos e histórias de carros velozes, antigos e clássicos.
Pensando no Opala e no sucesso que ele sempre faz no Instagram @velozes_antigosbr, nada melhor do que começar a coluna com esse que é um carro muito especial: o Opala Standard 1976 do meu pai. A história desse carro, que tem nome de pedra preciosa, começou no final da década de 60 quando a Chevrolet adaptou o Opel Rekord para o Brasil, modificando diversos itens do europeu e utilizando estradas do interior do país para testar os protótipos, uma vez que a montadora não tinha uma pista de testes por aqui.
Sendo o primeiro automóvel brasileiro da “gravatinha dourada”, o Opala foi apresentado no 4° Salão do Automóvel, em novembro de 1968, e tinha como anúncio uma frase que certamente se concretizaria ao longo dos seus 24 anos de produção: “Quem esperava o carro certo te saúda, te ama e te louva ChevroletOpala“.
Com mais de 1 milhão de unidades produzidas, o Chevrolet Opala fez sucesso desde a sua primeira geração (1968-1974), com muitos cromados e lanternas traseiras estilo “rabo de peixe”, até a terceira (1980-1992), com partes de plástico e lanternas traseiras mais modernas, passando também pela segunda geração (1975-1979) e suas típicas lanternas redondas na traseira. A versão duas portas foi lançada em 1971 e em 1975 a Caravan foi apresentada.
O Opala mais apimentada da linha era o SS, devido principalmente ao motor 250-S e à preparação que recebeu dos engenheiros da Chevrolet. Os destaques ficavam por conta do comando de válvulas de maior duração (o famoso comando 250-S, de 280º), válvulas de admissão e de escapamento maiores, tuchos mecânicos, carburador de corpo duplo, taxa de compressão elevada, volante esportivo e decalques exclusivos ao longo do carro. Em seguida, foi a vez da Caravan receber o logo SS e um fato interessante é o marketing que a Chevrolet fazia do porta malas avantajado dessa versão: “Leve tudo na esportiva”.
Na década de 80, o Diplomata foi apresentado ao público como o carro mais luxuoso da família Opala (antes era o Comodoro), sendo sinônimo, até hoje em dia, de um veículo bem confortável e espaçoso. Em seu interior havia espaço de sobra, com ar condicionado, regulagem da altura do voltante e bancos parecidos com o tipo “concha”, itens que o tornavam um grande destaque no mercado.
Ao longo dos anos, a linha Opala sofreu muitas alterações em vários aspectos, mas se consagrou em terras tupiniquins, tornando-se um dos carros mais emblemáticos do país. E falando em emblemático, esse Opala 76 exemplifica bem um caso de relíquia sobre rodas! Ele está com uma conservação sencacional, digno de placa preta, contando com 72 mil km, interior todo original, manual do carro, manual do rádio, chaves da concessionária em que foi comprado, pneus com faixa branca e cortina na janela traseira, além de uma história, no mínimo, especial.
O carro foi comprado primeiramente pelo Ministério do Exército em 1976 e a sua configuração era comum em Opalas oficiais da época: cor preta, versão básica (Standard, também chamada carinhosamente de “pé de boi”) e cortina na janela traseira. O seu primeiro dono era um general ex combatente da Segunda Guerra Mundial e ex-presidente da FEB (Força Expedicionária Brasileira) e que só andava de motorista, daí a cortina na traseira.
No cofre do motor está um seis em linha de 4,1 litros com a pintura igual a original, algo entre vermelho e laranja. Além disso, o forte motor é um aspecto característico do “6 caneco”, como é chamado pelos opaleiros, proporcionando uma dose forte de adrenalina toda vez que o pedal do acelerador é acionado. Em contrapartida, a emoção de pisar fundo no acelerador é diretamente proporcional à emoção na hora de abastecer o tanque de mais de 80 litros!
Mais um exemplo da originalidade desse Opala é o prêmio que ganhou no último final de semana, em um evento de carros antigos promovido pelo Clube Galaxeiros das Gerais, em Nova Lima. Opala: esse nome certamente representa uma parte muito importante da história da indústria automobilística nacional! E no final, após uma análise desse exemplar, percebe-se que certos carros são bons, outros são rápidos e alguns estilosos, mas poucos são lendas!
Ficha técnica (manual original – Chevrolet Opala Standard 1976):
Motor: dianteiro | 6 cilindros em linha | 4093 cm³ | carburador de corpo duplo DFV 446
Razão de compressão: 7:1
Rotação de marcha lenta: 550 a 600 rpm
Potência (bruta | líquida): 148 cv (146 hp) a 4000 rpm | 127 cv (125 hp) a 3800rpm
Torque (bruto | líquido): 30,9 kgm a 2400 rpm | 27,6 kgm a 2400 rpm
Câmbio: manual de 3 velocidades na coluna de direção | tração traseira
Carroceria: Comprimento -> 4671 mm | Largura -> 1757 mm | Entre-eixos -> 2667 mm | Altura -> 1384 mm

O interior impecável é todo original, mesmo com quase 4 décadas.
O interior impecável é todo original, mesmo com quase 4 décadas.
Motor com seis cilindros em linha e 4,1 litros.
Motor com seis cilindros em linha e 4,1 litros.
Manual original do rádio ainda em perfeitas condições!
Manual original do rádio ainda em perfeitas condições!
Esse Opala sempre chama muita atenção por onde passa!
Esse Opala sempre chama muita atenção por onde passa!
Detalhe da cortina na janela traseira, acessório de época.
Detalhe da cortina na janela traseira, acessório de época.
A atual logo do @velozes_antigosbr.
Divisória Simples
Veja Também

 Deixe um Comentário

Para deixar seu comentário, se não estiver logado, registre nome e e-mail.
Avatar Usuário
Jeferson há um mês Responder
Caros, tenho a coleção do opala SS 1976 1:8 dos fascículo 1 ate o ultimo quero vender e posso conceder um ótimo desconto, 11-947499649 whatsapp pode mandar proposta !!!
Avatar Usuário
Gabriel há 11 meses Responder
Parabéns pela relíquia, um ótimo exemplar de Opala, a matéria está muito boa, sugiro tirar mais fotos detalhadas dessa cortina. Também tenho um Opala 1976, coupé standart. Gostaria se possível de receber do amigo ,scaneado o manual do rádio,pois nunca tinha visto o manual do rádio original, tenho o mesmo rádio. abraço
Avatar Usuário
Tieme Hanaoka há um ano Responder
Parabéns pela matéria! Sucesso sempre!
Avatar Usuário
Roger há 2 anos Responder
Classico Opalão. Muito boa a matéria alias, curto muito as fotos do velozes e antigos no instagram.
Avatar Usuário
cristiano há 2 anos Responder
Legal! Nos próximos posts sugiro apresentar curiosidades ou contar casos pitorescos envolvendo os veículos, por exemplo como se deu a aquisição deste, ou seja, como um carro do exército saiu do Rio e foi parar em Rio Acima... Isso agrada ao publico, pelo menos a mim... Hehe. Carros raros tb são um assunto interessante, que tal oUirapuru?... Abração e parabéns!
Confira Mais Notícias