Notícias SE MEU CARRO FALASSE 23/10/2014

A história da Rota 66

Imagem Artigo

A história da Rota 66
Editorial SE MEU CARRO FALASSE
Embora os empresários Cyrus Avery de Tulsa, Oklahoma e John Woodruff, de Springfield, merecessem a maior parte do crédito pela ideia de uma ligação inter-regional entre Chicago e Los Angeles, os seus pensamentos não foram idealizados, até que fundidos com o programa nacional de rodovia e desenvolvimento de estrada.
Apesar de a legislação de vias públicas nos EUA ter aparecido pela primeira vez em 1916, com revisões em 1921, o Congresso aprovou uma versão ainda mais abrangente do ato da Rota 66 somente em 1925, quando o governo americano executou o plano de construção de uma rodovia nacional.
Oficialmente, a designação numérica 66 foi atribuída à rota Chicago – Los Angeles, em 1926. Com essa designação, veio seu reconhecimento como uma das principais vias leste-oeste do país.
Desde o início, os projetistas de estradas públicas designavam a Rota 66 a ligar as principais ruas das comunidades rurais e urbanas ao longo de seu curso, para a mais prática das razões: a maioria das pequenas cidades não tinham acesso antes de uma importante via nacional como essa existir.
Os anos de formação
A Rota 66, contrastando com a Lincoln, a Dixie e outras rodovias americanas, não seguiu um curso tradicionalmente linear. Seu curso diagonal ligado a centenas de comunidades predominantemente rurais em Illinois, Missouri, Kansas e Chicago permitia que os agricultores de transporte de grãos produzissem para a redistribuição. A configuração diagonal da Rota 66 foi particularmente significativa para a indústria de caminhões, que em 1930 tinha chegado a rivalizar com a estrada de ferro para a preeminência na indústria naval americana.
O caminho para uma nova vida
O famoso livro As Vinhas da Ira, de John Steinbeck, dizia que a Rota 66 era como a “Estrada mãe”. O clássico romance de Steinbeck, de 1939, serviu para imortalizar a Rota 66 na consciência americana. Estima-se que 210 mil pessoas migraram para a Califórnia para escapar do desespero da tempestade de areia Dust Bowl. Na mente daqueles que suportaram essa experiência particularmente dolorosa, e na opinião de gerações de crianças a quem eles contaram suas histórias, a Rota 66 simbolizava o “caminho para a paz”.
Durante a guerra
A Rota 66 ajudou a facilitar a única grande mobilização de mão de obra durante a guerra na história da nação. Entre 1941 e 1945, o governo investiu cerca de US $ 70 bilhões em projetos de capital em toda a Califórnia. Este enorme dispêndio de capital serviu para subscrever inteiramente novas indústrias que criaram milhares de empregos civis.
Os anos pós-guerra
Depois da guerra, os americanos eram mais móveis do que nunca. Milhares de soldados, marinheiros e aviadores receberam treinamento militar na Califórnia, Arizona, Novo México, Oklahoma, Texas, e abandonaram os invernos rigorosos de Chicago, Nova York e Boston para a “cultura do churrasco” do Sudoeste e do Oeste. Mais uma vez, para muitos, a Rota 66 facilitou o deslocamento.
Atualmente, a Rota 66 celebra seus mais de 75 anos, e a sua contribuição para a nação deve ser avaliada no contexto mais amplo da história social e cultural americana. O aparecimento da rodovia na cena americana coincidiu com a dificuldade econômica sem precedentes e instabilidade global na época que, no entanto, acelerou o movimento para o oeste mais abrangente e crescimento econômico na história dos Estados Unidos.

Divisória Simples
Veja Também

 Deixe um Comentário

Para deixar seu comentário, se não estiver logado, registre nome e e-mail.
Avatar Usuário
Flávio há 2 anos Responder
Que matéria linda!
Confira Mais Notícias